Estudantes que moram na RUA comemoram aprovação em mestrado

Anízia Lino e Valdeir Araújo contam como essa experiência foi importante para o sucesso acadêmico
Por Jacqueline Freire – jornalista
12/02/2021 15h32 - Atualizado em 12/02/2021 às 15h32
context/imageCaption

Valdeir Araújo e Anízia Lino contam suas histórias de superação

Quem é do interior de Alagoas ou de outros estados e vem estudar a graduação na Universidade Federal de Alagoas tem a possibilidade de se candidatar a uma vaga na Residencia Universitária (RUA). Esse processo é organizado em edital pela Pró-reitoria Estudantil (Proest). Morar na RUA pode ser um grande passo para o amadurecimento, a independência e também para ajudar a ter aqueles momentos tranquilos de estudo.

Foi o caso da Anízia e do Valdeir. Os dois moraram na Residência enquanto faziam a graduação e hoje, aprovados na pós-graduação, contam da experiência satisfatória e de como a RUA foi importante em seus processos de formação.

Vivência intensa na UFal

Anizia Lino de Messias é natural de São Luiz do Quitunde. Com uma determinação de ferro, ela foi morar na Residência Universitária enquanto cursava a licenciatura em Filosofia e tentava o mestrado no mesmo curso. “Foi a minha primeira seleção de mestrado e a linha de pesquisa que mais se adequa ao meu objeto de pesquisa só tem no mestrado da Ufal. Ingressei na Universidade em junho de 2016, mas só consegui vaga na residência universitária em 2019, quando já estava no 5º período e, coincidentemente, foi o momento em que eu mais estava precisando, pois nesse mesmo ano fui bolsista do programa residência pedagógica”, explicou.

Durante esse tempo, Anízia se dividia entre as aulas que começavam às 7h da manhã. “Para chegar nesse horário em Maceió, pegando ônibus e vans, levaria em média três horas de viagem, jamais chegaria a tempo para dar aulas. A Residência Universitária foi crucial para minha permanência no programa de residência pedagógica”, contou.

Para ela, morar na Residência também lhe permitiu vivenciar a Universidade de modo mais intenso, aproveitar os programas que são ofertados, como o Programa Esporte na Ufal. “O programa me possibilitou entrar para equipe de Atletismo da Universidade e ser medalhista alagoana, oportunidade essa que jamais me seria possível sem ter uma residência na capital”, lembrou Anizia.

“Vim de um dos bairros mais marginalizados na cidade [São Luiz do Quitunde], venho de um berço de agricultura familiar, meus pais sequer concluíram o ensino fundamental. Em 2020, por conta da pandemia tive que retornar para casa, mas além da pandemia a violência aumentou, enquanto eu tentava escrever o TCC e estudar para seleção do mestrado, havia trocas de tiro na porta da minha casa, o que me fez pedir para retornar para RUA. Então, a residência mais uma vez foi crucial para minha formação, lá escrevi meu TCC, aprovado e defendido com excelência, e consegui ser aprovada em primeiro lugar na seleção do Programa de Mestrado em Filosofia na Ufal”, comemorou.

Para os que pretendem ingressar na Residência, ela dá um aviso: “A RUA não é ‘American Pie’. Não é perfeita, mas também não é lugar de balbúrdia. Na RUA há estudantes com sonhos, metas, com cargas de vivências sofridas e haverá atritos, mas, também, inúmeras possibilidades que se abrirão. Vocês terão comida, abrigo e até máquina de lavar roupas (acredite, isso é um privilégio que nem todos têm)”, concluiu a estudante, ao agradecer à Universidade e a todos que contribuíram para sua formação.

Aprovado em cinco mestrados

Valdeir Araújo é outro exemplo de sucesso. Recém-formado em Engenharia Química, ele sai da Ufal com uma grande escolha a fazer: foi aprovado em cinco processos seletivos de mestrado, na Universidade de Campinas (Unicamp), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de São Carlos (UFScar),  Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe) e Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

E ele conta a chave do sucesso: “Esses resultados foram frutos de grande dedicação, somados aos inúmeros incentivos fornecidos pelos professores do curso, pela Universidade e, sobretudo, pelo apoio recebido da minha família”.

Valdeir é natural de Coruripe e, para ele, morar na RUA, onde ingressou no segundo semestre de graduação, foi um grande incentivo ao seu desempenho acadêmico. “Esse benefício trouxe uma série de vantagens. Uma delas foi realocar o gasto de três ou quatro horas diárias (ida e volta) de deslocamento Coruripe-Maceió-Coruripe para o desenvolvimento das atividades acadêmicas. Além disso, utilizar a infraestrutura da ampla sala de estudo e o laboratório de informática existente na Residência Universitária Alagoana teve extremo impacto positivo na vida acadêmica”, afirmou.

“Durante todo o período que passei na Residência foi possível perceber o quão organizada e segura é a estrutura ofertada. As instalações são de excelente qualidade, com sala de estar, sala de estudo, cozinha e área de serviço como áreas comuns aos residentes além do fornecimento de todos os insumos básicos (energia, água, alimentação, internet e higiene). Sou muito grato aos amigos de quarto por toda convivência e ao respeitoso tratamento recebido pelos seguranças e colaboradores da limpeza que atuam no local. Aqui também deixo meu agradecimento ao trabalho de assistência estudantil fornecido pela Proest”, disse o estudante.

Para quem pretende ingressar em breve na moradia estudantil da Ufal, Valdeir deixa o recado: “Sugiro aos novos residentes que valorizem a oportunidade e os benefícios ofertados pela Residência Universitária Alagoana e utilize-a como combustível para alavancar a carreira acadêmica através de diversas experiências proporcionadas pela Universidade”.

A RUA

A Residência Universitária Alagoana (RUA) oferece moradia para estudantes oriundos do interior de Alagoas e de outros estados brasileiros e fica localizada no Campus A.C. Simões, em Maceió. Atualmente tem capacidade para atender até 127 estudantes.

Para ingresso é feita uma seleção no Programa de Residência Universitária, que ocorre ao menos uma vez por ano, por meio de Edital da Proest divulgado no Portal da Ufal. O processo do edital seleciona estudantes em situação de vulnerabilidade social.

Mais informações no telefone: (82) 3214-1079 ou e-mail: gae.proest@gmail.com