Pós-graduação em Física projeta a Ufal em importante evento da América Latina

Mestrando Gutemberg Cardoso conquistou do segundo lugar em competição internacional; professores foram convidados especiais e outros pós-graduandos ganharam destaque nas apresentações
Por Manuella Soares - jornalista
05/11/2021 11h32 - Atualizado em 05/11/2021 às 11h33
context/imageCaption

Gutemberg Cardoso conquistou do segundo lugar na competição Student Picth Competition

Quando tem evento internacional de Física, tem a Universidade Federal de Alagoas se destacando. O Grupo de Acústica e Aplicações (Gaap), do Campus Arapiraca, e o Grupo de Acústica Física (GAF), do Instituto de Física, estrearam bem na primeira edição do IEEE Latin America Ultrasonics Symposium, realizado no início de outubro, em formato virtual.

No total, a Ufal foi representada em três apresentações de banners, por alunos da pós-graduação; duas apresentações orais realizadas pelos pós-doutorandos do GAF e pelo professor José Henrique Lopes; um trabalho escolhido entre os dez finalistas para concorrer ao prêmio de melhor banner do evento; e a conquista do segundo lugar na competição Student Picth Competition, pelo aluno do mestrado Gutemberg da Silva Cardoso.

“Gutemberg foi aluno de licenciatura em Física do Campus Arapiraca, sob minha orientação e coorientação do professor José Pereira Leão Neto. Além de ter sido um aluno exemplar nas disciplinas, também realizou um ótimo trabalho de conclusão de curso. Por meio de sua participação no Programa de Iniciação Científica [Pibic], conseguiu desenvolver simulações numéricas que deram fruto a um artigo internacional de elevado fator de impacto [4,95] na revista Physical Review Applied”, resumiu com orgulho o professor José Henrique Andrade.

O docente também participou como revisor de trabalhos no IEEE e foi convidado como palestrante para falar sobre o desenvolvimento das pesquisas de acústica em Alagoas. Outro professor da Ufal, Glauber Silva, representou a pós-graduação do Instituto de Física sendo convidado para atuar no comitê organizador do evento como publication co-chair.

O objetivo do simpósio foi reforçar as redes existentes e promover oportunidades para a comunidade de engenharia ultrassônica na América Latina em conexão com o resto do mundo. O primeiro IEEE Laus contou com palestras e apresentações de trabalhos de grande relevância para o desenvolvimento de novas tecnologias.

“Sendo o IEEE a maior instituição do mundo dedicada ao desenvolvimento tecnológico, ficar entre os dois melhores trabalhos da competição estudantil é, sem dúvida alguma, um reconhecimento do excelente trabalho que é realizado nos laboratórios de acústica do Instituto de Física e do Campus Arapiraca”, enfatizou Gutemberg, e completou: “Conseguimos uma ótima colocação na competição, mostrando que, embora estejamos passando por um período de escassez e cortes em relação ao financiamento e investimento em ciências no país, a pesquisa em física da Ufal e do Brasil sobrevive e produz resultados relevantes e de extrema importância para o desenvolvimento tecnológico”.

Produtividade para mais conhecimento

Os alunos foram submetidos a uma acirrada competição no evento. Eles tiveram apenas um minuto para apresentar o trabalho totalmente em inglês e resumido em um slide. Depois foram avaliados em relação ao layout do slide, clareza do discurso, clareza dos resultados e impressões gerais do trabalho.

O estudante do mestrado, Gutemberg, que alcançou o segundo lugar entre as universidades tradicionais do Brasil e dos Estados Unidos apresentou o trabalho Superresolution transducer for ultrasonic imaging. Ele propôs um transdutor de elemento único para imageamento acústico de alta resolução usando feixes super focalizados, gerados por lentes acústicas do tipo core-shell.

“Tal dispositivo consegue gerar imagens com resolução lateral abaixo de um comprimento de onda do campo acústico incidente. As principais vantagens desse dispositivo são: 100% de ganho de resolução lateral, simples fabricação, baixo custo e escalabilidade com a frequência de excitação. Tal dispositivo pode ser empregado em aplicações de diagnósticos oculares e de doenças superficiais de pele, assim como em ensaios não destrutivos. Portanto, é uma alternativa promissora em relação aos sistemas de imageamento convencionais que possuem limitação na resolução lateral em suas imagens geradas”, explicou.

A dedicação do aluno no evento é reflexo da sua trajetória na Ufal. Ele faz parte do GAF, coordenado pelo professor Glauber Silva, e do Gaap sob coordenação dos professores José Henrique e José Pereira Leão Neto. Durante o mestrado, Gutemberg também fez um artigo que será publicado numa conferência internacional, e está finalizando a escrita de outro trabalho a partir das suas pesquisas.

Além dele, o professor Henrique já orientou outro aluno ganhador de um prêmio internacional. Em 2018, Everton Brito, na época estudante do Campus Arapiraca e atualmente aluno de doutorado no Programa de Pós-graduação do Instituto de Física foi contemplado com o prêmio de melhor pôster do evento cedido pelo Institute of Physics (IOP).

“Esses resultados mostram que o curso de Física do Campus Arapiraca possui um corpo docente dedicado à formação dos alunos. Atualmente, 67% das bolsas de produtividade do Cnpq do campus são de docentes do curso de Física”, destacou Andrade.

E os resultados têm plantado sementes nos currículos e nas decisões de quem está fazendo parte dessa história. “Tanto a conquista do segundo lugar na competição quanto a participação no IEEE Laus 2021 contribuíram de forma significativa em minha formação, me incentivando ainda mais a continuar na carreira acadêmica”, projetou Gutemberg.