Ufal realiza colação emergencial e forma profissionais de Enfermagem

Larissa Omena, agora enfermeira, vai participar de seleção para atuar no enfrentamento da covid-19
Por: Thâmara Gonzaga – jornalista - 02/04/2020 às 13h32 - Atualizado em 02/04/2020 às 13h46
context/imageCaption

Larissa Omena, agora enfermeira, quer atuar no atendimento a pacientes com covid -19

Não teve a festividade da cerimônia, nem a presença de familiares e amigos, mas foi por um motivo importante que Larissa Omena decidiu colar de grau forma emergencial nessa quarta-feira (1º): ela participará de processo seletivo para atuar em unidades de saúde que receberão pacientes com o novo coronavírus.

“Agora, como enfermeira, também posso contribuir com o cuidado, objeto de trabalho da enfermagem, acolhendo e fornecendo informações adequadas a respeito da covid-19, afinal, todos nós estamos aprendendo muito com tudo isso”, declarou a mais nova profissional formada pela Universidade Federal de Alagoas.

Além de Larissa, mais cinco estudantes de Enfermagem se formaram. No total, juntando outros cursos, foram oito novos profissionais que colaram grau por ato administrativo, seguindo a instrução da Portaria nº 407, de 23 de março de 2020.

Assinada pelo reitor Josealdo Tonholo, o documento determina que, enquanto durar as ações de enfrentamento da pandemia, as colações serão realizadas de forma diferente da habitual com o objetivo de evitar aglomerações e serão restritas a alunos de graduações consideradas indispensáveis no combate ao novo coronavírus.

“O reitor assina um termo concedendo o grau. Não existe contato com alunos. O estudante faz o juramento, é feita a leitura do termo e a entrega da documentação”, relata o chefe da Divisão de Registro Acadêmico (DRA), João José da Silva, ao explicar como é essa formatura.

Ainda conforme a portaria, os graduandos da área da saúde não precisam apresentar comprovante para colação emergencial. Já os estudantes dos demais cursos devem mostrar documento que ateste a necessidade de colar grau para atuar no combate à pandemia causada pela covid-19.

Importante destacar que, em qualquer um dos casos, o curso deve estar integralizado. Alunos com pendências curriculares não poderão colar grau por ato administrativo.

Para saber mais, acesse a Portaria 407.