Proest realiza acolhimento aos estudantes do edital de assistência

Resultado final contemplou mais de mil estudantes com bolsas, auxílio alimentação e gratuidade nos restaurantes
Por Izadora Garcia - relações públicas
01/08/2019 10h55
context/imageCaption

Equipe da Pró-reitoria Estudantil da Ufal

Os estudantes aprovados no Edital nº 02/2019, que rege a cessão de bolsas pró-graduando, de auxílio alimentação e o acesso gratuito aos restaurantes universitários, estão passando pela última etapa do processo, o acolhimento. A Pró-reitoria Estudantil (Proest) divulgou o resultado final e, no total, houve 2.732 inscrições, das quais 1.915 foram indeferidas. Após a análise de recursos interpostos pelos candidatos, 1.029 estudantes foram considerados aptos para a assistência.

Agora, os estudantes são apresentados ao Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes), aos serviços da Proest e do Núcleo de Assistência Estudantil (NAE) e à Instrução Normativa n°07/2018. Além disso, é durante o acolhimento que os alunos assinam o Termo de Compromisso, assegurando, efetivamente, o ingresso no programa selecionado. As atividades estão sendo realizadas desde o dia 25, em todos os campi e unidades de ensino. 

O edital traçou o perfil socioeconômico dos estudantes por meio de indicadores como renda per capita e composição familiar; procedência escolar; situação de trabalho; participação em programas de transferência de renda; impacto de doenças graves, e deficiências ou transtornos do espectro de desenvolvimento do próprio aluno ou de familiares. Os dados, além de subsidiar a cessão de bolsa, ajudam a traçar novas estratégicas para a assistência estudantil na Universidade. 

“Os processos seletivos para os programas de assistência estudantil da Ufal têm passado por um processo de aperfeiçoamento contínuo desde 2014, quando foi estabelecido o formato de seleção por Edital. A evolução do processo é fruto das constantes discussões que a equipe técnica da Pró-reitoria Estudantil tem se dedicado a fazer, sobretudo baseadas nas demandas percebidas no atendimento dos estudantes no dia a dia e nas avaliações que vêm sendo realizadas após a finalização de cada processo”, avaliou Alex Renner, gerente de Assistência estudantil. 

Segundo a assistente social e coordenadora de Política Estudantil, Manuella Aragão, duas ações da assistência merecem destaque: o fim da contrapartida laboral e a definição da Instrução Normativa n°07/2018, que rege o Programa de Apoio e Acompanhamento Pedagógico ao Estudante (Paape).  O objetivo da iniciativa é ampliar as condições de permanência e contribuir para a melhoria do desempenho acadêmico, especialmente para os estudantes contemplados com apoio estudantil. 

“Este edital ampliou os critérios de avaliação de vulnerabilidade socioeconômica, prevalecendo a renda per capita familiar, mas incorporando situações que produzem impactos negativos na permanência. Dessa forma, e junto com o estudo da demanda social, almejamos atender com maior equidade”, explicou a pró-reitora Estudantil, Silvana Medeiros. 

Ainda de acordo com a pró-reitora, os resultados apontam para a necessidade de ampliar o atendimento, assim como os recursos da assistência estudantil compatíveis com o perfil socioeconômico dos estudantes da Ufal.