Estudantes do Pará conhecem funcionamento do Lapis

Eles estão na Ufal para duas semanas de estudos
Por: Thâmara Gonzaga – jornalista - 15/03/2019 às 09h30 - Atualizado em 15/03/2019 às 09h31
context/imageCaption

Estudantes Édria Sousa, Cleber Xavier e Victor Uchoa vieram da Ufopa para conhecer o Lapis/Ufal

Estudantes da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), localizada em Santarém, estão na Ufal para vivenciar duas semanas de muito conhecimento. Cleber Xavier, Victor Uchoa e Édria Sousa são graduandos do curso de Ciências Atmosféricas e chegaram ao Campus A. C. Simões na última segunda-feira (11) para conhecer o funcionamento do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), coordenado pelo professor Humberto Barbosa do Instituto de Ciências Atmosféricas (Icat). 

Integrantes de programas de iniciação científica, eles vieram por indicação do docente da Ufopa Wilderclay Machado e enfatizam que a visita está sendo proveitosa. “Nosso orientador já conhece o trabalho do professor Humberto. Viemos para cá por causa do treinamento, pois no laboratório de lá trabalhamos com processamento de imagem, mas não tem essa metodologia daqui”, diz Cleber Xavier. “Mas, futuramente, já temos planos de empregar lá o que é trabalhado aqui”, acrescenta. “Estamos encantados com tudo que estamos vendo”, completa Édria Sousa. 

Entusiasmado com o intercâmbio, Cleber conta como estão sendo os dias de estudo no Lapis: “É muita informação e conhecimento de software que a gente nunca tinha utilizado nem tinha conhecimento, tanto para geração e produção quanto para coleta dos dados, até o produto final”. O estudante diz que ele e os colegas estão motivados com essa experiência, especialmente por ter acesso a novas informações. “Vimos que dá para usar [as imagens] em muitas áreas que a gente não conseguia antes ter acesso, por conta de lá trabalharmos com imagens já prontas, fornecidas por sites, a gente utilizava todas processadas, só fazia as análises, não tínhamos a base de processamento para gerar o produto desde o zero, como acontece aqui”, afirma. 

“O laboratório de lá [Ufopa] ainda está nascendo, praticamente, estamos tirando do zero, está sendo bom para gente aprender bastante, pois estamos recebendo muita coisa nova”, comentou o estudante Victor Uchoa.   

Cléber e Victor são alunos a primeira turma do curso de Ciências Atmosféricas da Ufopa, criado em 2014. Os planos dos graduandos são de continuar na pesquisa e continuar os estudos com mestrado e doutorado. “Inclusive, esse intercâmbio, essa parceria que estamos tendo agora, vai servir para o mestrado”, afirma Cleber.  “Também irá alavancar o laboratório que está no início”, completa Victor. 

Mobilidade nacional 

Os estudantes vieram para Ufal por meio do Programa Mobilidade Externa Temporária Nacional da Ufopa. “É ofertado edital e apresentamos o projeto que foi avaliado por uma banca. Passamos por esse processo de seleção e ficamos entre os classificados para receber a bolsa que deve ser usada para esse período de estudo em outra instituição”, explica Cleber.