Chapa "A gente que Lute" vence eleições do DCE com 1466 votos

Votação ocorreu na última quinta-feira (28)
Por: Blenda Machado - estudante de Jornalismo - 02/12/2019 às 16h53

A Comissão Eleitoral encerrou neste sábado (30), a apuração dos votos na eleição para a nova gestão do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A chapa vencedora, que atuará no período 2019/2020, e recebeu 1466 votos, foi A gente que Lute (UJC/MUP, Afronte e UJR/Correnteza).

De acordo com os vencedores do pleito o objetivo da nova gestão é reerguer o DCE da Ufal resgatando sua história e a do movimento estudantil de Alagoas, com transparência e diálogo com todos e todas estudantes, aglutinando as lutas e as demandas dos mesmo.

Para a estudante de História, Quézia Santos, membra da nova gestão, formada pelo Movimento Correnteza, movimento por uma Universidade Popular e Afronte, é gratificante conquistar o quórum: ‘‘Nacionalmente nós formamos a oposição de esquerda na União Nacional dos Estudantes, e da mesma forma que no último congresso da UNE nos fortalecemos e garantimos a maior bancada da história da OE, na Ufal essa unificação busca a consolidação de um movimento estudantil forte e politizado’’.

Quézia, expõe os desafios que a comissão enfrentou: ‘‘passamos por uma campanha que não foi fácil, buscamos alcançar todos os estudantes da universidade, do litoral ao sertão. Realizamos inúmeras passagens em sala, dialogando com estudantes sobre a necessidade da reconstrução da combatividade do DCE, da importância de uma entidade que conscientize e organize o corpo dos estudantes na luta em defesa da Ufal’’.

A nova gestão afirma que diante dos ataques do governo federal à educação, tem responsabilidade de lutar pela universidade pública, gratuita e de qualidade. ‘‘como desafio no próximo período a luta da defesa da Ufal e da garantia das bolsas estudantis, que começam o ano de 2020 com uma redução de 17% no que foi aprovado esse ano’’, disse Paulo Araújo, membro da gestão: A gente que Lute e militante do Movimento Por Uma Universidade Popular.

Ainda segundo o estudante, uma das propostas criada pela gestão para o período 2019/2020 é criar uma ouvidoria própria do DCE, para lidar diretamente com os casos de assédio, lgbtfobia e racismo dentro da universidade. "Sobretudo, trabalharemos na criação de Fóruns que discutam essas questões dentro da comunidade acadêmica’’, completou.

As eleições ocorreram entre os dias dias 27 e 28 de novembro nos campi A.C. Simões, em Maceió, Arapiraca e do Sertão e demais unidades acadêmicas. As três chapas que disputaram a direção do DCE foram:

Chapa 01: Eu Defendo a UFAL (Levante e JPTs) - 933 votos;

Chapa 02: Uma Onda Diferente (UJS e PDT) - 845 votos

Chapa 03: A gente que Lute (UJC/MUP, Afronte e UJR/Correnteza)- 1466 votos

Brancos e Nulos: 145