Estudante de jornalismo colabora com rádio de escola pública estadual

Quando cursava o ensino médio, ele se engajou para que rádio voltasse a funcionar
Por: Ascom Ufal - 03/01/2019 às 17h24 - Atualizado em 09/01/2019 às 14h08
context/imageCaption

Josivan e estudantes sendo homenageados pelo projeto da Rádio Escolar. Foto: Arquivo pessoal.

Antes mesmo de começar a graduação, o estudante de Jornalismo da Ufal, Josivan Silva de Oliveira, já se envolvia com a rotina de atividades do rádio. Ainda no ensino médio, ele colocou para funcionar uma rádio na Escola Estadual Moreira e Silva, no Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas (Cepa). E não deixou o projeto. Atualmente, o jovem é o coordenador de programação. “No começo de 2015, já tinha terminado meu ensino médio, mas a gestão da época me chamou e convidou para continuar acompanhando a rádio. Toda programação, antes de ir ao ar, é passada por mim: cada música, cada matéria, cada entrevista. Temos os comunicadores, que são alunos matriculados na escola, e eu como ex-aluno ajudo na coordenação com o apoio deles”, explica.

Josivan conta que tudo começou em 2012. “Quando cheguei para estudar na escola, notei que existia uma rádio escolar e que estava totalmente desativada”, lembra. “Um colega meu da época me chamou atenção, entramos em contato com o gestor geral que nos informou que estava parada há tempos, pois não tinha pessoa para gerir. Ele mostrou os equipamentos e a rádio tinha apenas quatro caixas de som ambiente e um computador que estava sem placa de áudio”, recorda.

Com o colega, ele diz que correu atrás de apoio em algumas lojas de informática, mas não conseguiu ajuda. “Até que juntamos alguns trocados e conseguimos comprar uma placa de áudio. A rádio, que até então funcionava com o som de notebook, pôde ter um áudio saindo de um computador”, afirma. “Baixamos músicas, fomos às rádios, estava ingressando no curso de rádio e TV, fiz amigos e eles gravaram vinhetas para a rádio escolar. Aos poucos, foi ganhando nova roupagem”, destaca.

 Superando os desafios, a exemplo da defasagem dos equipamentos, o estudante de jornalismo da Ufal conta que apresentou um projeto para aquisição de equipamentos. “Em 2014, a nova gestão fez a compra de 25 caixas de som ambiente, dois microfones, cabos e componentes que ajudaram a melhorar o funcionamento”.

Segundo Josivan, a rádio funciona com a ajuda dos alunos matriculados. “Anualmente, no começo do ano letivo, abrirmos edital com itens, regras e regimentos para participar da rádio. Os alunos fazem prova com assuntos do 9°, já que eles estão ingressando no 1° ano, e fazem testes do que fazem nas redes sociais, gravam pilotos e tem uma semana para adaptação. No final da semana, é falado se ele passou nos testes ou não”, relata ao acrescentar que ex-alunos também continuam ajudando.

Ele conta que a rádio participou de grandes eventos em 2018. “Cobrimos, ao vivo, vários eventos, entrevistamos jornalistas e radialistas de destaque de Alagoas, tudo isso gerando conteúdo para a comunidade escolar e todos que acompanham”. De acordo com o estudante de jornalismo, também é feita cobertura dos principais eventos da escola, levando o equipamento para o ginásio ou pátio. “Recentemente, cobrimos o Encontro Estudantil no Cepa. Em uma inauguração, entrevistamos o governador de Alagoas e ele nos recebeu muito bem, ficou muito feliz com o projeto”, conta orgulhoso.

Ao falar sobre o impacto positivo na rotina escolar, Josivan avalia que o veículo desperta o interesse dos estudantes. “Ano passado, a rádio mudou totalmente a programação. Saímos do 100% musical para dar espaço para entrevistas. Este ano, fecharemos parceria com alguns professores para gerar conteúdo, assim despertará ainda mais o interesse dos alunos de acompanharem e ouvirem, tanto na rádio como nas nossas plataformas digitais”.

Já na avaliação do ponto de vista pessoal, o estudante de jornalismo afirma que, após formar, quer continuar no rádio. “Está no meu dia a dia desde pequeno. O ano de 2017 foi para mostrar o projeto para os veículos de comunicação, recebemos diversos profissionais que nos parabenizaram pelo trabalho prestado à comunidade escolar e, como futuro profissional, penso em trabalhar em uma grande rádio do estado para poder levar informação e música para todos”, planeja.