Portal do Governo Brasileiro

Pró-reitoria Estudantil realiza acolhimento aos novos bolsistas

Com 700 estudantes contemplados, o edital foi um recorde e ofertou o maior número de vagas
Por: Amanda Alves – estagiária de Relações Públicas - 09/08/2018 às 08h40 - Atualizado em 09/08/2018 às 09h21
context/imageCaption

Os estudantes dos demais campi que também foram contemplados pelas bolsas, devem conferir os horários e locais dos acolhimentos (Fotos: Renner Boldrino)

Os novos bolsistas contemplados pelo Processo Seletivo dos Programas de Assistência da Pró-reitoria Estudantil (Proest) foram recepcionados através de uma reunião de acolhimento na manhã desta terça-feira (7), no auditório da Reitoria. O acolhimento é a última etapa do edital, onde os estudantes aprovados devem comparecer para a assinatura do termo de compromisso, orientações gerais acerca do pagamento, conhecimento das instruções normativas dos programas e para tirar dúvidas.  O edital contemplou estudantes de todos os campi da Ufal, e as inscrições precisaram ser prorrogadas devido à grande demanda.

Com mais de 3,6 mil inscritos, 700 bolsistas foram selecionados, muitos indeferidos por causa do não comprimento de algumas das regras, e ainda existem estudantes na lista de espera. Os alunos foram divididos em quatro turmas para o acolhimento por uma parte da equipe da Proest. O edital contemplou o maior número de inscritos, e demandou muito esforços conjuntos para realizar todas as etapas dentro dos prazos estabelecidos.

A reitora Valéria Correia participou do acolhimento. Ela lembrou que anteriormente os alunos só recebiam bolsas se trabalhassem na Universidade, e as ações para mudar essa realidade. ‘’Desde que assumimos em 25 de janeiro de 2016, tínhamos esse compromisso de acabar com essa questão laboral dos estudantes para receber bolsa. Em dois meses, assim o fizemos’’, relatou.

Estiveram presentes na atividade em Maceió a coordenadora de política estudantil, Manuella Aragão, o gerente de assistência estudantil, Alex Renner, o psicólogo clínico Everton Calado e o assistente social Erivaldo Farias.

O acolhimento já foi realizado com os contemplados do Campus A.C. Simões, Ceca e Espaço Cultural. A última reunião foi realizada na quarta-feira (8) no auditório da Reitoria. Os estudantes dos demais campi  contemplados pelas bolsas, devem conferir os horários e locais dos acolhimentos aqui.

Os programas de Assistência Estudantil contam com uma grande rotatividade, conforme os estudantes concluem seus respectivos cursos. Isso justifica a alta oferta de vagas nesse edital. Segundo Manuella Aragão, esses programas determinam a permanência dos alunos na Universidade. “Para além do tripé pesquisa, ensino e extensão, a gente considera a assistência estudantil determinante para uma permanência de qualidade desses estudantes”, afirmou.

Orientações

Os novos bolsistas foram apresentados ao decreto 7.234 do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes), que segundo o Art. 1o tem a finalidade de ampliar as condições de permanência dos jovens na educação superior. Manuella afirma que é importante lutar para que o decreto seja transformado numa lei, uma vez que a lei é superior, possui mais força normativa, e é mais difícil de ser revogada a qualquer momento. “Lutar para que o decreto se torne uma lei, é garantir que a assistência estudantil seja entendida como um direito, como política de Estado. É lutar para que exista mais orçamento para os programas, pois a demanda é sempre crescente, e esse edital mostrou isso, contemplando o maior número de inscritos da história desses programas na Universidade”, ressaltou.

Os estudantes que não assinarem o termo de compromisso no acolhimento serão substituídos pelos que estão na lista de espera do programa escolhido. Além disso, é preciso ficar atentos aos critérios de permanência nas bolsas, pois através do descumprimento deles pode acontecer o desligamento. Para evitar essa situação, é importante que o aluno possua um bom desempenho acadêmico, sem poder reprovar mais de um semestre por falta, manter sempre a matrícula ativa, não receber nenhuma outra bolsa para evitar o acúmulo, e cumprir todas as cláusulas previstas nas instruções normativas, disponíveis aqui.

Os selecionados também têm direito aos serviços que são oferecidos pela Universidade, a exemplo de atendimentos médicos, por meio de consultas com clínicos, dentistas e psicólogos. Para isso, é necessário o preenchimento de formulários disponibilizados pela Proest, localizada no Centro de Interesse Comunitário (CIC).

Acompanhe o pagamento

Ao final da reunião de acolhimento, os estudantes receberam todas as orientações sobre o pagamento, e para a efetivação do mesmo, a conta deve ser corrente, e de qualquer banco. Os estudantes que tiverem problemas para a abertura da conta, será disponibilizado um formulário, comprovando que o mesmo é bolsista da Universidade. Segundo a equipe da Proest, por questão de organização, os recebimentos dos meses de julho e agosto serão realizados direto no caixa, exclusivamente do Banco do Brasil, mesmo para aqueles que já possuem a conta. As informações sobre a conta precisam ser atualizadas no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), e não mais na Proest.

Os bolsistas podem conferir a movimentação dos pagamentos no Portal da Transparência, basta selecionar o mês escolhido e o tipo da bolsa. Quando a coluna "situação" acusar "aguardando financeiro" significa que o envio do dinheiro está sendo aguardado. Tão logo o financeiro seja disponibilizado, o estudante tem até sete dias úteis para realizar o saque, a partir da data que consta no portal, na modalidade "disponível para saque a partir de". Caso o estudante perca o prazo, o valor será devolvido ao banco, só podendo ser sacado novamente no mês seguinte. É importante lembrar que todos os pagamentos são realizados no mês subsequente. 

Para aqueles que precisarem de mais informações, podem entrar em contato com a Proest através do telefone (82) 3214-1081.