Projeto recupera Miniusina de Adensamento de Biomassa da Ufal

Atividades foram retomadas com apoio de professores, estudantes e produtores rurais do Vale do Satuba
Por Ascom Ufal
03/07/2018 10h38 - Atualizado em 03/07/2018 às 10h38
context/imageCaption

Atividades da miniusina são retomadas por meio de projeto de extensão

Um projeto de extensão aprovado no edital Proccaext, em abril deste ano, viabilizou aos alunos do curso de Engenharia Química a proposta de desenvolver novas tecnologias, utilizando produtos e subprodutos industriais da Copervales. A associação civil atua na produção, comercialização, industrialização e exportação da produção de seus 144 cooperados, com destaque na produção de açúcar, a partir da sua usina de cana-de-açúcar.

Coordenados pelo professor Edmundo Accioly, do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) o objetivo do projeto também é promover o desenvolvimento socioeconômico dos cooperados com palestras e treinamentos enfocando temas como Gestão em saúde e segurança do trabalho; Ética profissional; Boas práticas de fabricação; Gestão de resíduos, entre outros.

A parceria com a Copervales surgiu após estudos desenvolvidos pelos alunos Wandesmer Thiago e Leone de Almeida. Eles apresentaram a proposta que além do desenvolvimento de produtos a partir da cana-de-açúcar previa a recuperação e manutenção da Miniusina de Adensamento de Biomassa da Ufal.

Os estudantes visitaram a usina da associação para conhecer todo o processo industrial, dando início à recuperação e manutenção da Miniusina da Ufal. Uma equipe composta por engenheiros eletricistas, engenheiros mecânicos, químicos industriais, técnicos em mecânica e eletrotécnica participou dessa etapa.

A Miniusina de Adensamento de Biomassa da Univiversidade foi implantada durante o projeto de doutoramento do professor Edmundo, financiado pela Finep e Sebrae Nacional, coordenado e orientado pelas professoras Simonni Menegheti (IQB) e Alina Ramos (Ctec). O local conta com diversos equipamentos em escala industrial como: fornalha, forno rotativo, triturador, moinho, briquetadeira e peletizadora, sendo a única do país, nesta escala, implantada em uma universidade pública brasileira.

Neste projeto de extensão a equipe executora espera contar com a colaboração de outros professores e alunos do Ctec, do IQB além de outros centros, que poderão dar suporte por meio de seus conhecimentos específicos e laboratórios para o desenvolvimento das pesquisas que já estão sendo iniciadas e outras de interesse para o desenvolvimento do estado de Alagoas.

“Desde a elaboração teórica do projeto que ficava me perguntando se realmente, um dia, iríamos recuperar a Miniusina e ver esse resultado em tão pouco tempo me deixa muito feliz e aumenta ainda mais a vontade de trazer coisas boas para o curso de Engenharia Química Agradeço muito a todos os diretores e gerentes da Copervales por esse grande feito, bem antes do esperado”, destaca Thiago.

Entre as etapas do projeto do Proccaext estão a coleta e análise de amostras de resíduos; estudos de utilização de cana moída, triturada, briquetada ou pelletizada; desenvolver estudos de utilização do melaço da cana; elaborar cartilhas e apostilas para os cooperados e colaboradores; realizar cursos de capacitação; e fiscalizar as medidas e técnicas implementadas nos cursos.

Os alunos explicam que uma das etapas mais importantes do projeto é o desenvolvimento social da região onde a Copervales fica situada. Essa ação está em sintonia com um dos principais objetivos sociais da associação, que é estímulo, desenvolvimento e defesa dos interesses socioeconômicos da região. Na capacitações, cooperados e colaboradores vão aprender sobre saúde e segurança no trabalho, boas práticas de fabricação, gerenciamento de resíduos sólidos e outros temas com o auxílio do orientador, dos professores colaboradores e das técnicas administrativas.

“Agora cabe a nós, colaboradores junto aos orientadores do projeto de extensão, executar o desenvolvimento tecnológico para o reaproveitamento dos subprodutos da cooperativa, que também será um desafio grande, mas com o apoio de todos os envolvidos e dos laboratórios da Ufal iremos entregar os resultados e promover um melhoria socioeconômica para a Copervales e seus cooperados” projeta Thiago Soares.