Portal do Governo Brasileiro

Beneficiários da reforma agrária iniciam aulas de curso de graduação

Aula magna do bacharelado em Agroecologia será nesta segunda-feira (10) no Ceca
Por: Ascom Ufal - 06/12/2018 às 09h08 - Atualizado em 06/12/2018 às 09h09
context/imageCaption

Programa vai oferecer na Ufal o primeiro curso de graduação em Agroecologia

Próxima segunda-feira (10), gestores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) darão as boas-vindas aos estudantes do curso de bacharelado em Agroecologia pelo Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera).

 A solenidade da aula magna será às 10h, no auditório José Artur Lopes Ferreira, Centro de Ciências Agrárias (Ceca), Rio Largo. Os novos graduandos, selecionados por processo seletivo, são jovens e adultos de famílias beneficiárias dos projetos de reforma agrária.

“É o primeiro curso de Agroecologia pelo Pronera do Brasil. Em Alagoas, é o primeiro curso superior pelo Programa, apesar dele existir há 20 anos”, relata o coordenador, professor Rafael Navas. Ele ainda destaca a importância dessa iniciativa: “O curso é voltado para o público da reforma agrária e irá dialogar muito com as experiências dos agricultores. A proposta é formar na linha da agroecologia, pensando numa produção sustentável do ponto de vista técnico, mas que considere as questões ambientais, a realidade de cada comunidade e o contexto sociocultural”.

Sobre o curso

Conforme especificado no edital, o curso de Agroecologia pelo Pronera, com duração de cinco anos, é direcionado para jovens e adultos das famílias beneficiárias dos projetos de assentamento criados ou reconhecidos pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNFC).

Os estudantes, diz o coordenador do curso, “são do estado de Alagoas inteiro, de todas as regiões, e também de outros estados do Nordeste, a exemplo da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará”.

O objetivo é “formar o público beneficiário da reforma agrária com concreta aptidão aos princípios da agroecologia, fundamentados na ética profissional e política, para atender à crescente demanda por produtos agropecuários de qualidade e que sejam produzidos com baixo impacto ambiental, com viabilidade econômica e justiça social”.

“É outra metodologia de trabalho, com muita atividade prática. As aulas e toda parte didática são de responsabilidade da Ufal, pelo curso vinculado ao Ceca. Os alunos vão ter aula em Rio Largo e na área rural”, conclui Navas.